Eitacast #35- Nostalgia Internet

13288534_897449673714962_1111187676_o

Fala pessoal! No ar mais um episódio do Eitacast. Dessa vez, Gilberlan Santos, Bruno Melo e Rafaella Paz batem um papo sobre suas primeiras experiências com a “rede mundial de computadores” kkkkkkkkkk. O que cada participante fazia na lan house, quem era o rei do bate papo da UOL, quais as coisas que mais dão saudades na Internet das antigas? Ouça e relembre com a gente!

Cuidado com o Bate papo Uol…

 

Acompanhe as nossas rede sociais:

GRUPO NO TELEGRAM

Youtube

Twitter

Facebook

Comentários
Compartilhe e divulgue nosso podcast

Eitacast #33- Folclore

13288534_897449673714962_1111187676_o

Fala pessoal! Nesse episódio do Eitacast, Gilberlan Santos, Diego Schirmer, Rafaela Paz e Wagner Freitas se reúnem para conversar e questionar um pouco do Folclore e das lendas urbanas nacionais; quais as lendas e de cada região, suas origens e fatos curiosos. Vamos deixar Saci, Curupira e Cuca um pouco de lado e enveredar por mitos e causos menos conhecidos no nosso país

“‘”A beleza da cultura popular de um povo poderá ser encontrada em seu folclore ou até resumida no mesmo.”.

Acompanhe:

 

Túmulo da “Maria degolada”

Cabeça voadora no Cata-lendas

Episódio do Saci – Verdade ou Mentira

 

Acompanhe as nossas rede sociais:

GRUPO NO TELEGRAM

Youtube

Twitter

Facebook

Comentários
Compartilhe e divulgue nosso podcast

TECNOLOGIA, OVELHAS E MULHERES – PHILIP K. DICK

Sempre que pensamos em ficção científica vem à cabeça Arthur C. Clark, Azimov, entre outros, mas Philip K. Dick é um autor que você precisa conhecer, arrisco dizer que é um dos autores de ficção científica com as melhores obras adaptadas para o cinema, como: Blade Runner, Minnority Report, O Vingador do Futuro e outros. 

Philip K. Dick (1928 – 1982) nasceu em Chicago, EUA, era uma criança tímida e introvertida que gostava de ler, a típica criança que tem tudo para virar um escritor, como foi com Neil Gaiman, aos 23 anos escrevia o primeiro livro Vozes da Rua e escreveu cerca de 44 romances e 121 contos. O autor tratava de futuros distantes, ou nem tão distantes assim, como no caso do livro abordado aqui, Andróides Sonham Com Ovelhas Elétricas?, que se passa em 1992, vale lembrar que ele publicou o livro em 1968 e na época o ano de 92 estava em um futuro um tanto quanto distante. Então vamos ver tecnologias passadas pensadas em um futuro distante, mas que para nós já é passado. Confuso? Sim, um pouco, mas isso não atrapalha em nada o entendimento da história, pelo contrário.

O livro é tão profundo que antes de falar qualquer coisa vale a premissa que a editora Aleph trouxe para o livro:

"Rick Deckard é um caçador de recompensas. Ao contrário da maioria da população que sobreviveu à guerra atômica, não emigrou para as colônias interplanetárias após a devastação da Terra, permanecendo numa San Francisco decadente, coberta pela poeira radioativa que dizimou inúmeras espécies de animais e plantas.

Na tentativa de trazer algum alento e sentido à sua existência, Deckard busca melhorar seu padrão de vida até que finalmente consiga substituir sua ovelha de estimação elétrica por um animal verdadeiro; um sonho de consumo que vai além de sua condição financeira.
Um novo trabalho parece ser o ponto de virada para Rick: perseguir seis androides fugitivos e aposentá-los. Mas suas convicções podem mudar quando percebe que a linha que separa o real do fabricado não é mais tão nítida como ele acreditava."

É nesse mundo que vamos ser inseridos através dos olhos de Rick Deckard, um caçador de androides, casado e que aspira ter uma posição social elevada comprando um animal de verdade. Rick é um homem atormentado por muitos problemas, como todos os cidadãos dessa sociedade, uma espécie de religião é instaurada e deve ser capaz de ajudar todos os homens e mulheres a aceitarem essa nova realidade e principalmente a terem empatia. A empatia é o elemento que separa seres humanos de androides fabricados fora da Terra, por mais inteligente e avançado que o cérebro de um modelo seja ele não é capaz de ter empatia e é assim que os caçadores vão descobrir quem aposentar, o problema surge quando um novo modelo parece ameaçar essa lógica e aí vamos ter de lidar com o questionamento: O que de fato separaria humanos e androides?

O livro é um daqueles de camadas, pode ser lido como uma história de um policial atrás de androides para ganhar uma recompensa e status social, além de um animal. Pode ser lido como um livro sobre religião e o poder de crença na vida das pessoas e como a experiência humana com o outro é importante. Assim como pode ser lido tal qual os conflitos de um homem que ao alcançar um novo status no trabalho se vê em choque com seus preceitos e sobre o que é realmente humanidade. A verdade é que não há uma verdade, o livro aborda tantos temas e tantas camadas que no mínimo você vai querer reler uma vez

Algo muito recorrente no livro é a forma como as mulheres são colocadas pelo autor sempre como as mais sentimentais, mesmo as androides que deveriam em tese serem desprovidas de empatia, e como os homens fazem "de tudo" por suas mulheres e sofrem, mesmo sendo um androide, o que não anula em nada o quão o livro é bom, mas é uma ressalva que deve ser feita aqui. 

O livro é fantástico e com certeza essencial para qualquer pessoa que se interesse pela ficção científica, inclusive até para quem quer adentrar esse mundo e não sabe por onde começar assista Blade Runner, o filme inspirado nesse livro, e depois venha se encantar com as 272 páginas do livro.

Comentários
Compartilhe e divulgue nosso podcast

Eitacast #32- Deleites Embaraçosos

13288534_897449673714962_1111187676_o

Fala pessoal! No trigésimo segundo episódio do Eitacast resolvemos falar sobre os nossos “Deleites vergonhosos”, coisas que fogem do senso comum, sendo questionado por ser algo ruim ou de qualidade duvidosa mas que a gente não vive sem. Aquela música que se escuta caladinho para o coleguinha não ouvir, aquela dancinha tosca que você faz na solidão do quarto, o filme que diz que odeia mas assiste sempre, o sorvete de tamarindo que só você pede na sorveteria; resumindo: “É ruim mas eu gosto, só não espalha!”
Vem com a gente morrer de vergonha alheia (de novo).

Com: Gilberlan Santos, Wagner Freitas, Rafaella Paz e Diego Schirmer .

“Eu gostxo muitxo.”

 

Acompanhe as nossas rede sociais:

GRUPO NO TELEGRAM

Youtube

Twitter

Facebook

Comentários
Compartilhe e divulgue nosso podcast

Eitacast #31- Coisas que dão raiva

13288534_897449673714962_1111187676_o

Fala pessoal, mais um episódio pra vocês e, esse com certeza é o mais sem noção que fizemos, tentamos falar sobre coisas que dão raiva mas…. kkkkk, saiba quais são os efeitos que um chocolate pode causar em uma pessoa, a maldade no coração de alguns, uma pessoa que grava bêbada e, muito mais.

Com: Gilberlan Santos, Bella Gomes, Wagner Freitas, Rafaella Paz e John Hed .

“Não alimente minha raiva.”

Acompanhe:

Desenho do Almir

Alguma coisa cast

Canal do Robério

Acompanhe as nossas rede sociais:

GRUPO NO TELEGRAM

Youtube

Twitter

Facebook

Comentários
Compartilhe e divulgue nosso podcast

FILHOS DO FIM DO MUNDO, FÁBIO M. BARRETO

Desde o começo do ano quando saí do blog em que escrevia sobre livros sentia muita saudades de escrever sobre o que lia, até que conheci o app do Amino e a comunidade de leitores Br, mas e o nervosismo para escrever? Pois bem, essa é uma primeira tentativa e aqui abordo as minhas impressões quanto ao livro Filhos do Fim do Mundo do autor brasileiro Fábio M. Barreto, espero que se interessem a ler o livro!

O autor além de escritor é podcaster, tendo trabalhado longa data no RapaduraCast e atualmente com o seu podcast Gente Que Escreve, vive em Los Angeles e já participou das redações dos jornais: O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde, tendo publicado conteúdos até na CNN, ou seja, ele tem um currículo bem extenso. Filhos do Fim do Mundo é o seu primeiro romance e traz uma premissa interessantíssima:

"É meia-noite quando a humanidade é surpreendida pela notícia – todas as crianças nascidas nos últimos 12 meses morreram misteriosamente. Descobrem também que plantas e filhotes também morreram"

A história contada em terceira pessoa vai dividir a trama em vários pontos de vista sobre o evento e focar mais no Repórter, no Governador do estado e em um Blogueiro famoso, mas por que eu coloquei essas profissões em maiúsculo? Porque esses são os nomes dos personagens, isso mesmo, os personagens não tem nomes e são caracterizados por suas profissões ou relações afetivas com os principais personagens, o que torna o livro muito interessante e humanizado, afinal essa história pode se passar em qualquer estado do mundo ocidental pela forma como foi escrita facilitando a sua identificação com os personagens.

O livro começa com o Repórter indo atrás de uma possível solução para o problema, já que havia visitado bunkers comprados por pessoas ricas e escrito recentemente uma matéria sobre o medo deles de um evento que causasse o fim do mundo e não é que eles acertaram? Assim o Governo (governo aqui está em maiúsculo porque a entidade funciona como um personagem a parte no livro) vai propiciar ao Repórter que tente encontrar uma cura, ou ao menos uma criança menor de um ano viva, para que haja ao menos uma esperança. Nessa jornada vamos conhecer lugares desertos e bases militares mega escondidas, além de chegar até a ver a curvatura da terra, ver o que um blogueiro pode fazer fora da internet e como em algumas situações o medo faz com que as pessoas ajam de forma irracional.

O escritor consegue te enganar diversas vezes durante a história, quando você acha que ele vai seguir por um rumo e ele vai por outro, colocando clichês utilizados como técnicas para resolver os problemas da narrativa e brincando com esses elementos, entre outros.

Recomendo fortemente este livro, não esperava nada de surpreendente da história, muito menos uma escrita tão inteligente e criativa.

Comentários
Compartilhe e divulgue nosso podcast

Eitacast #30- Especial Terror 3

13288534_897449673714962_1111187676_o

Fala pessoal, chegamos ao trigésimo episódio do Eitacast. Sim, TRIGÉSIMO episódio, o que isso significa, mais um episódio de terror. Dessa vez, recebemos o Rafael Jacaúna para lermos causos e relatos sobrenaturais, que vão te deixar com muito medo, ou não.  Vem com a gente, desliga as luzes, coloca o fone de ouvido e ouça tudo com atenção.

Com: Gilberlan Santos, Bella Gomes, Wagner Freitas, Rafaella Paz e Rafael Jacaúna( Mundo Freak Confidencial) .

"'"As vezes, o mundo dos vivos, se mistura com o mundo dos mortos.".

Acompanhe:

Alguma coisa cast

Mundo Freak

The Baggios – Como Um Tiro de Bacamarte

Canal do Robério

Wilson Simonal

Cauby Peixoto

Gonzaguinha

Acompanhe as nossas rede sociais:

GRUPO NO TELEGRAM

Youtube

Twitter

Facebook

Comentários
Compartilhe e divulgue nosso podcast